Translate

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Onde estão os Elias de Deus?

Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.
E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros. Tu pois, sofre as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente.” 2 Timóteo 2:1-5

Neste tempo de tantos escândalos, de tanta corrupção ministerial e financeira, de tantos adultérios, divórcios, guerras denominacionais, conflitos de idéias, fico a pensar, quem permanecerá de pé diante de tamanha degradação moral.

Um dos maiores problemas desta geração de crentes é que muitos de nossos pastores, pregadores, preocupados apenas em ter fama, sucesso e notoriedade, passam mais tempo diante de livros do que de joelhos diante de Deus. 

Estão preocupados mais com aquilo que lhes promovem do que com a verdadeira vida com Deus. Como diz Ravenhill, “O púlpito é uma vitrine onde você expõe seus talentos, mas no aposento da oração não tem como ser visto, ser notado!” minha carne quer ler livros, fazer seminário, decorar pregações, pois ela sabe que isto me dá evidencia, me promove, me dá fama, mas ela não quer ser humilhar a Deus em oração em secreto.

Infelizmente vivemos um número crescente de homens descompromissados com a verdade. Como no tempo do profeta Jeremias, homens que profetizam paz e segurança, quando na verdade está declarada a guerra contra os ídolos que crescem nos púlpitos de nossas igrejas.

O evangelho que é diluído em quase todos os púlpitos pelo Brasil a fora, é elegante, encantador, místico, sincrético, suave, indolor, insípido e maldito Gl.1.9. Este outro evangelho não produz: quebrantar de coração, regeneração, arrependimento, nova vida. 

sua mensagem é técnica, a EXEGESE (ek+egéomai, penso, interpreto, arranco para fora do texto. Não se trata de pôr algo no texto (eis-egesis) e sim de tirar o que já existe no texto (ex-egesis) é substituída pela sua EISEGESE (a eixegese ocorre quando o intérprete aborda o texto com preconceitos, extraindo dele um sentido que já deseja de antemão, ou seja, significa ler no texto aquilo que ele quer encontrar ali, mas que na realidade não se encontra, ou então distorce um texto para adaptá-lo às suas próprias ideias. ) 

Alguns cometem o absurdo de conciliar a bíblia ou o nosso Eterno , Santo Senhor Jesus Cristo com Freud, Chomsky, Hipócrates e outros. Alguns já possuem uma coletânea de frases de efeitos para impressionar o público, porém nada acrescentam ao Reino de Deus.

Sim! Chegamos ao tempo que disse o apóstolo Paulo “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;" (2 Timóteo 4.3)

Os pregadores estão preocupados com seu ventre, com status e popularidade. Lamento dizer, mas o pregador que não prega a verdade, angustiado apenas em manter sua agenda, ou preservar sua imagem com mensagens populares, na verdade parece, mas consigo mesmo do que com Cristo.

Infelizmente o mundo está indo de mal a pior, centenas de almas caem a cada minuto no inferno e a igreja quase em sua maioria está perdendo e muito em seu desserviço a Deus em razão de seu materialismo e ambição por esta vida.

Pregadores que pregam sobre prosperidade, materialismo, saúde física e coisas desta vida efêmera, na verdade está roubando o céu dos corações dos seus ouvintes, fazendo um desserviço ao Reino de Deus, mudando suas prioridades. Mt.6.26-33

As igrejas esqueceram-se dos seus princípios e viraram as costas para a palavra de Deus e se tornaram endurecidas. Ninguém se importa em saber se estão perdidos, elas querem fama, riquezas, poder, ser cabeça, está nos palcos da vida.

Pregadores que vivem o tempo todo passando a mão na cabeça das ovelhas, fazendo-as se sentirem seguras como estão. Uma falsa e terrível sensação de segurança. Infelizmente não há arrependimento, não há angustia, não há pesar pelo pecado. Ninguém se importa ninguém se humilha. Suas mensagens geram mais pelejas, conflitos, competições, guerras e mais guerras.

Não há contrição, não há confissão, não há perdão. Nada de pegar a cruz e seguir a Cristo, isto não é elegante para o nosso tempo. Falar de renuncia em tempos de “conquistas” é queimar o filme do pregador.

Se conseguirem agregar pessoas no templo, chamo a isso de igreja. Mentira! Isto não é a igreja! Igreja foi tirada de dentro do mundo para fora dele. Igreja não ama o mundo e nem o que no mundo há, igreja não pensa nas coisas que são debaixo Cl.3.2, igreja não é entretenimento, mas vida separada no Espírito Santo.

Como disse Leonard Ravenhill e me junto a ele neste coro “ Sinto vergonha de fazer parte da igreja de Jesus de hoje, porque acredito que é vergonhosa para um Deus Santo”

Despertemos e voltemos a palavra. 

É hora de devolvermos a bíblia aos púlpitos e retirar os falsos profetas deste lugar.



Deus desperte o seu povo através de pregadores e pastores compromissados com a VERDADE.

Em Cristo





Pr. Neemias Fagundes

Um comentário:

  1. Essa é a ideia que predomina nos pulpitos... Pregar para agradar sem se importar se o ouvinte é um salvo ou não... Lamentável... Mas Deus ainda tem seus Elias... Deus é contigo Pr. Neemias

    ResponderExcluir

Meus blogs prediletos

Loading...