Translate

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Continuo afirmando. Estou cansado!

"É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo. Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração. Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos. Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai. Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa."


Ricardo Gondim

Desabafo de um Pastor Evangélico: "Estou Cansado!"


Cansei! Entendo que o mundo evangélico não admite que um pastor confesse o seu cansaço. Conheço as várias passagens da Bíblia que prometem restaurar os trôpegos. Compreendo que o profeta Isaías ensina que Deus restaura as forças do que não tem nenhum vigor. Também estou informado de que Jesus dá alívio

para os cansados. Por isso, já me preparo para as censuras dos que se escandalizarem com a minha confissão e me considerarem um derrotista. Contudo, não consigo dissimular: eu me acho exausto. Não, não me afadiguei com Deus ou com minha vocação. Continuo entusiasmado pelo que faço; amo
o meu Deus, bem como minha família e amigos. Permaneço esperançoso. Minha fadiga nasce de outras fontes. Canso com o discurso repetitivo e absurdo dos que mercadejam a Palavra de Deus. Já não aguento mais que se usem versículos
tirados do Antigo Testamento e que se aplicavam a Israel para vender ilusões aos que lotam as igrejas em busca de alívio. Essa possibilidade mágica de reverter
uma realidade cruel me deixa arrasado porque sei que é uma propaganda enganosa. Cansei com os programas de rádio em que os pastores não anunciam mais os conteúdos do evangelho; gastam o tempo alardeando as virtudes de
suas próprias instituições. Causa tédio tomar conhecimento das infinitas campanhas e correntes de oração; todas visando exclusivamente encher os seus
templos. Considero os amuletos evangélicos horríveis. Cansei de ter de explicar que há uma diferença brutal entre a fé bíblica e as crendices supersticiosas.
Canso com a leitura simplista que algumas correntes evangélicas fazem da realidade. Sinto-me triste quando percebo que a injustiça social é vista como uma
conspiração satânica, e não como fruto de uma construção social perversa. Não consideram os séculos de preconceitos nem que existe uma economia perversa
privilegiando as elites há séculos. Não aguento mais cultos de amarrar demônios ou de desfazer as maldições que pairam sobre o Brasil e o mundo. Canso com a repetição enfadonha das teologias sem criatividade nem riqueza poética. Sinto pena dos teólogos que se contentam em reproduzir o que outros escreveram há séculos. Presos às molduras de suas escolas teológicas, não conseguem admitir
que haja outros ângulos de leitura das Escrituras. Convivem com uma teologia pronta. Não enxergam sua pobreza porque acreditam que basta aprofundarem um
conhecimento “científico” da Bíblia e desvendarão os mistérios de Deus. A aridez fundamentalista exaure as minhas forças. Canso com os estereótipos pentecostais. Como é doloroso observá-los: sem uma visitação nova do Espírito Santo, buscam criar ambientes espirituais com gritos e manifestações emocionais. Não há nada mais desolador que um culto pentecostal com uma
coreografia preservada, mas sem vitalidade espiritual. Cansei, inclusive, de ouvir piadas contadas pelos próprios pentecostais sobre os dons espirituais. Cansei de ouvir relatos sobre evangelistas estrangeiros que vêm ao Brasil para soprar sobre as multidões. Fico abatido com eles porque sei que provocam que as pessoas “caiam sob o poder de Deus” para tirar fotografias ou gravar os acontecimentos e depois levantar fortunas em seus países de origem. Canso com as perguntas que me fazem sobre a conduta cristã e o legalismo. Recebo todos os dias
várias mensagens eletrônicas de gente me perguntando se pode beber vinho, usar “piercing”, fazer tatuagem, se tratar com acupuntura etc., etc. A lista é enorme e parece inexaurível. Canso com essa mentalidade pequena, que não sai das questiúnculas, que não concebe um exercício religioso mais nobre; que não pensa em grandes temas. Canso com gente que precisa de cabrestos, que não sabe ser livre e não consegue caminhar com princípios. Acho intolerável conviver com aqueles que se acomodam com uma existência sob o domínio da lei e não do amor. Canso com os livros evangélicos traduzidos para o português. Não
tanto pelas traduções mal feitas, tampouco pelos exemplos tirados
do golfe ou do basebol, que nada têm a ver com a nossa realidade.
Canso com os pacotes prontos e com o pragmatismo. Já não aguento mais livros com dez leis ou vinte e um passos para qualquer coisa. Não consigo entender como uma igreja tão vibrante como a brasileira precisa copiar os exemplos lá do norte, onde a abundância é tanta que os profetas denunciam o pecado da
complacência entre os crentes. Cansei de ter de opinar se concordo ou não com um novo modelo de crescimento de igreja copiado e que vem sendo adotado
no Brasil. Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há pouco
compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o
Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembleia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento
também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza. Canso de explicar que nem todos
os pastores são gananciosos e que as igrejas não existem para enriquecer sua liderança. Cansei de ter de dar satisfações todas as vezes que faço qualquer negócio em nome da igreja. Tenho de provar que nossa igreja não tem título protestado em cartório, que não é rica, e que vivemos com um orçamento apertado. Não há nada mais desgastante do que ser obrigado a explanar para parentes ou amigos não evangélicos que aquele último escândalo do jornal
não representa a grande maioria dos pastores que vivem dignamente. Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram
uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo. Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração. Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos
primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos. Buscarei o convívio dos pequenos
grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma
humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai. Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa.


Ricardo Gondim

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Onde está a unção?

Vivemos a escassez de unção nos púlpitos. Onde está a unção?

Poucos são aqueles que mantém uma vida ávida por Deus.

Falsas igrejas, falsos pastores, falso evangelho, falsos crentes.

O que esperar em nossos dias? Onde está a unção?

É gritante o aumento da apostasia, é lamentável que o poder do chamado "discernimento espiritual" está longe de se ver.

É absurdo como surgem dia após dia novas personalidades de púlpitos, artistas com seus efeitos pirotécnicos que nada acrescentam a fé e somente aumentam o contingente de neófitos ao caminho espaçoso que leva a perdição. Onde está a unção?

Sim! Estes são homens presunçosos arrogantes, amantes de si mesmo, jactanciosos, falastrão.

Não são pastores e sim animadores de palcos que passam seus dias planejando uma nova modalidade de culto para atrair novos adeptos. Onde está a unção destes?

Eles não buscam unção e sim livros, método de crescimento de igreja, maneiras de atrair classes diferentes, campanhas intermináveis que mais deturpam do que orientam ao verdadeiro evangelho. Onde está a unção?

Com suas campanhas recheadas de propostas terrenas, atraem pessoas do mundo sim com coisas do mundo que nada pode satisfazer ao vazio da alma.

Como pode alguém ter vencido o mundo e ser dominado por ele em suas campanhas ou usar o mundo em suas mensagens de conquistas? (Prosperidades, curas, sucesso e etc) O que disse João a respeito de tais obreiros? "Do mundo são, por isso falam do mundo, e o mundo os ouve. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro." 1 João 4:5-6 Onde está a unção?


Como podemos formar pessoas espirituais com mensagens carnais? Como podemos gerar o novo homem com as coisas velhas? 2Co.5.17

Se atrairmos as pessoas às igrejas com proposta do mundo, estamos fazendo um desserviço ao Reino de Deus, estamos acrescentando amor ao mundo aos nossos ouvintes. Estamos roubando o céu dos corações destes. Onde está a unção?


"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." 1 João 2:15-17


Não ceda ao ditames deste "outro evangelho "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema." Gálatas 1:8


Mantenha firme a fé que uma vez nos foi dada. O evangelho é puro e simples, ele não necessita de ajuda humana para torná-lo eficaz. Não precisamos de outro poder para salvar o mundo, apenas o evangelho de Cristo e nada mais.


Paulo disse: "Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego."Romanos 1:16


Chega desse modismo contemporâneo, chega de homens compromissados com seu cartão e contas bancárias. A unção está disposição de todos que querem servir a Deus apenas para a glória dEle e nada mais.


Unção não é esse show que se estabeleceu em muitas igrejas, fazendo apologia a desordem e ridicularizando o divino Espírito Santo.

Unção é jugo quebrado na vida do velho homem e uma nova criatura formada pelo poder do evangelho da graça.


"E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção."Isaías 10:27

Se não for assim podemos chama-lo de qualquer outra coisa, menos evangelho.

A unção glorifica a Cristo e não o homem, e este é o alvo do Espírito Santo. A glória do filho de Deus. “Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará.” Jo.16.14

Qualquer coisa que se pareça com isso, mas não glorifica a Cristo e sim ao homem e sua vontade humana não é do Pai, porém do mundo.


Pr. Neemias Fagundes

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Pré ou Pós tribulacionismo?

Precisamos atentar para esta realidade: os acontecimentos dos últimos dias.

Tudo que você aprendeu até hoje precisa ser confrontado a luz da bíblia.
Assunto que irá chocar você, verdades que ficaram ocultas a quase dois séculos.
Seminários escatológicos dos nossos dias continuam seguindo os mesmos erros de dois séculos.
Pré ou Pós tribulacionismo, que linha está certa?

Alerta o tempo é já, a igreja precisa voltar-se em direção as sagradas escrituras.

"E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e PESTILÊNCIAS; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu." Lucas 21:11

Entre muitas outras profecias estamos revivendo uma forte peste que surgiu em 1976 e voltou com todo o vigor, ultrapassando a fronteira da África, chegando a Europa e provavelmente chegando até nós nas Américas.

Deixo o meu alerta para cada notícia ao povo de Deus.

Uma foto registrada na manhã de hoje:

 Ambulância com paciente com suspeita de ebola passa pela na avenida Brasil, no Rio de Janeiro. Souleymane Bah, 47, chegou em Cascavel (PR) vindo da Guiné, na África. Ele ficará internado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas
Leia mais em: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/imagens-do-dia/2014/10/02/epidemia-de-ebola-atinge-africa.htm?fotoNavId=pr12268445

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

QUAL É A EVIDENCIA DE ALGUÉM CHEIO DO ESPÍRITO SANTO?

Profetiza pra caramba?
Ele ou ela é do rétété?
Possui muitas visões espirituais?
Hum!! deixe pensar mais alguma coisa aqui...vive caindo no "poder" na igreja?
Não deixa de frequentar vigílias e montes?
Falas línguas "estranhas" o culto todo?


Como o apóstolo Paulo interpretou sobre ser cheio do Espírito Santo?

Leiamos:

"Portanto, vede prudentemente como andais, não como NÉSCIOS (grifo meu), mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus.
Por isso não sejais INSENSATOS (grifo meu), mas entendei qual seja a vontade do Senhor.

E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;

Enumerei os versos abaixo não seguindo a ordem na bíblia para facilitar ao leitor a aplicação de cada uma dessas mensagens:

1-Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso CORAÇÃO;
2- Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo;
3- Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus.
4- Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;
5- Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo.
De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.
6- Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
7 Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
8- Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;
Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos. Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne.
Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido. Efésios 5:15-33

Vamos ver aqui como identificar alguém cheio do Espírito Santo, conforme a interpretação dada a mim por Deus?

1- Sua fala quando reunido é salmos, hinos, cânticos espirituais e quando está só faz isso no coração (em espírito).
2- Não vive murmurando, mas é uma pessoa grata a Deus por tudo.
3- Se sujeita aos outros sem dificuldade. (É pronto para servir)
4- Se ela é casada não tem dificuldade em se sujeitar ao marido, mesmo sendo ele descrente.
5- O marido haje com eficácia no papel de cabeça do lar. (Filhos obedientes e tementes a Deus)
6- O marido ama a esposa sem dificuldade, a entende, protege e ajuda.Ama-a como cristo amou a igreja. (ou seja dá sua vida por ela se for preciso, ele já não vive para si, mas para eles)
7- O marido zela pela integridade da esposa, sua beleza, sua felicidade, seu bem estar.
8- O amor do marido por ela deve ser o mesmo por si.

Deus te abençoe e que você possa discernir melhor quem é e quem não é cheio do Espirito Santo a luz da poderosa e clara palavra de Deus.


Pr. Neemias fagundes

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Qual sua desculpa para o desânimo?

ESQUECERAM DE VOCÊ? Não é o suficiente, também se esqueceram de Deus. “trocaram Aquele que é a Glória deles pela imagem de um boi que se alimenta de capim! Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que fizera portentos no Egito,maravilhas na terra de Cam e realizações magníficas junto ao mar Vermelho.…” Sl.106.20-22


JULGAM-TE PELA APARÊNCIA? Fizeram o mesmo com o nosso Senhor. “Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.
Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.” Isaías 53:2-3

FAZEM ACEPÇÃO DE PESSOAS CONTIGO NÃO TE DÃO OPORTUNIDADES? O que acha que faziam com o Senhor? “Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.” Isaías 53:3

A ENFERMIDADE TE ENTRISTECE? “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” Isaías 53:4-5

ACHA SUA VIDA DIFÍCIL? “Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.” Isaías 53:7

SENTE-SE ABANDONADO QUANDO MAIS PRECISA DE ALGUÉM? Também abandonaram nosso Senhor quando mais precisou de amigos “Mas tudo isto aconteceu para que se cumpram as escrituras dos profetas. Então, todos os discípulos, deixando-o, fugiram.” Mateus 26:56

AS PESSOAS TE PROCURAM POR INTERESSE? O que acha que muitos faziam com Jesus? “Jesus respondeu-lhes e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes.” João 6:26. Muitos queriam apenas os milagres, mas Jesus veio para algo mais excelente “E, achando-o, lhe disseram: Todos te buscam. E ele lhes disse: Vamos às aldeias vizinhas, para que eu ali também pregue; porque para isso vim.” Marcos 1:37-38

Poderia fazer muitas comparações, porém o que te convido aqui é decretar a falência das desculpas e deixar todo embaraço (Hb.12.1) desta vida. Pois grande nuvens de testemunhas já venceram no passado e nós não podemos ficar para trás usando as adversidades como argumentos para o fracasso.

Lembre-se é glorioso ser participantes da mesmas aflições. 

“Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.” 1 Pedro 4:13

“A nossa esperança acerca de vós é firme, sabendo que, como sois participantes das aflições, assim o sereis também da consolação.” 2 Coríntios 1:7



Deus te abençoe


Pastor Neemias Fagundes

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Assumir o arado é como pular de paraquedas. NÃO TEM COMO VOLTAR A TRÁS.

“E, andando junto do mar da Galiléia, viu Simão, e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E Jesus lhes disse: Vinde após mim, e eu farei que sejais pescadores de homens. E, deixando logo as suas redes, o seguiram. E, passando dali um pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco consertando as redes, E logo os chamou. E eles, deixando o seu pai Zebedeu no barco com os jornaleiros, foram após ele.” Marcos 1:16-20

COMPROMETIMENTO

Ontem (27/08/2014) ministramos uma palavra sobre o comprometimento total dos discípulos no momento de sua chamada. Suas vidas e propósitos foram redirecionados aos interesses de Cristo. Isso me chamou muito atenção para a maneira como o chamado a Cristo está sendo respondido em nossos dias pelos seus seguidores. Entendo que nos dias atuais estamos convivendo com uma vida assoberbada de compromissos seculares. 

Não há nos chamados seguidores de Cristo do século 21 uma entrega total a vontade de Deus. Existimos em torno de nossos interesses, não há vida profunda em Cristo. Somos superficiais em nossa vida mecanizada. Casas, carros, faculdades, casamentos, filhos, terrenos, empresas, negócios e etc têm reduzido nosso foco do eterno propósito de Deus. 

SERVIR NÃO É MAIS UM PRIVILÉGIO

Não queremos nada que nos ocupe além de nossos interesses. Ninguém poderá seguir a Cristo sem antes assumir tudo por Ele. 

“Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” Romanos 11:36

Em tempos de “restituição”, poucos querem pregar RENÚNCIA, afinal queima o filme do pregador, diminui sua agenda.

Está claro para mim que atitude dos discípulos em Mc.1, revela sua decisão, com Cristo é tudo ou nada, ou Ele é tudo para mim ou não é nada. Não existe meia decisão, meio convertido, meia renúncia. Ou pegamos nossa cruz e negamos a nós mesmo, ou paremos já com está brincadeira. Ontem uma irmã disse na sua oportunidade: “hoje estão dizendo: senhor eis me aqui, envia ele ali” fazendo uma referencia as palavras do profeta Isaías 6.

“Como queremos que o mundo nos leve a sério se nós não levamos Deus a sério?” Leonard Ravenhill

No livro de 1Rs 19.19-21 Elizeu é chamado por Elias para segui-lo e a atitude de Elizeu foi: matou a junta de boi que lhe pertencia, usou o aparelho que puxava o arado como lenha, fez um grande churrasco, ofereceu carne de vaca para todo o povo e saiu com o coração liberado para servir apenas aos propósitos de Deus. Jesus mesmo disse:“Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. Mateus 6:21

Tudo começa com uma decisão (DE+CISÃO, corte, cirurgia) e isso só é possível quando assumimos cortar tudo que possa nos impedir de manter o olhar fixo em Jesus. “E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.” Mateus 18:9

Nada nesta vida pode ser mais importante do que sua chamada para o Reino de Deus. Abandone seu pecado de estimação, abandone os baalins (ambição por riquezas e poderes) da vida. É hora de nos posicionarmos e decretarmos a falência das desculpas.


“E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor deixa que primeiro eu vá a enterrar meu pai. Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus. Disse também outro: Senhor, eu te seguirei, mas deixa-me despedir primeiro dos que estão em minha casa. E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.” Lucas 9:59-62
Preste muito atenção, de que adianta na vida acumular fortunas, fama, sucesso e não ser rico para com Deus. De tudo que na vida conquistou, o que te valerá isso quando a morte bater em tua porta?

Na bíblia, temos a parábola de um homem que pensou de maneira equivocada sobre a finalidade da vida:


"E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância;E arrazoava ele entre si, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos.
E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus. Lucas 12:16-21

A vida só é vida quando vivida para Deus. "Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus." 1 Co.10,31



Deus nos desperte!

Pr. Neemias Fagundes

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Preparado ou não ela vem!

 “Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.” Tiago 4.14

Dia deste recebi uma notícia na igreja onde pastoreio, sobre um adolescente de 16 anos que segundo ultimo relato sofreu um infarto fulminante após tomar seu banho noturno antes de ir dormir, sua mãe teve que arrombar a porta do banheiro e o encontrou no chão já desfalecido.

No dia seguinte recebo uma ligação de outra família sobre um pai que acabara de falecer por volta das 5 da manhã. Com seus 80 anos ele estava dormindo e a morte não o permitiu abrir mais uma vez seus olhos.

Sim a morte é uma terrível realidade, nos preparamos para tudo na vida (casamento, aniversário, formatura, viagens, férias e etc) menos para ela. Ela sempre é ignorada, achamos que nunca irá acontecer conosco ou com alguém de nossa família. 


Pensamos ter tudo sobre controle, mas é aí que ela vem sem pedir licença, sem perguntar se estamos preparados, sem se importar se deixamos filhos pequenos, se deixamos alguma coisa por fazer, se alguém depende de nós ou não.

Cada ser humano deveria de vez em quando refletir sobre o nascimento e a morte. Ajuizar que passamos nesta vida e nela não permaneceremos. Lembrar que nossa vida foi idealizada para um fim maior do que esta efêmera e frágil existência.

Fomos feitos para Deus “A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para a minha glória: eu os formei, e também eu os fiz.” Isaías 43:7.
Não há beleza na vida se a vivemos para nós mesmos. A vida só é vida se vivida com Cristo. “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.” Filipenses 1:21

A vida é desperdiçada quando o centro dela somos nós mesmos. Não há riqueza fora de Deus. Todo o dinheiro, poder e fama são inúteis se Deus não estiver lá. “E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.” Lucas 12:19-21

Muitos querem o mundo, muitos querem o sucesso, muitos querem o poder. O homem está enchendo-se de si mesmo a cada dia e ficando mais vazio de Deus. Sua alma se deprime, seus sonhos se perdem, seu foco se distancia e a realidade não é outra: UMA VIDA DESPERDIÇADA. “Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?”Marcos 8:36

Meu amigo a morte é real, não existe nada em nós que favoreça a Deus o desejo de que nosso coração pulse mais um dia ou uma hora, ou um minuto. Nós pecamos até mesmo em nosso respirar. A criação geme esperando a hora de Deus agir e tirar de uma vez da terra o homem mal e pecador que só amaldiçoa com sua presença o solo que pisa. 

“Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou, Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora”. Romanos 8:19-22

Sim, é esta a realidade, se natureza pudesse cortaria o fôlego que respiramos, pois ela nos concede o oxigênio apenas para manter vivo homens e mulheres que continuarão a pecar contra o seu criador. O solo se pudesse impediria o alimento, a chuva ficaria retida nos céus, só para livrar-se de uma vez do homem que nada faz a não ser pecar.

Para muitos dos homens a iniquidade é um prazer que bebe como água. “Quanto mais abominável e corrupto é o homem que bebe a iniquidade como a água?” Jó 15:16

A morte é uma parte do juízo de Deus para que o homem reconheça o quanto é corrupto.

Os dois fatos acima, tem como propósito lembrar que a morte não escolhe idade, posição social e etc. Todos sabem da lamentável morte do presidenciável Eduardo Campo e também do ator Robin Willian. 

Meu propósito é direcionar nossa existência para Deus. Pois fomos feito para sua glória e não a nossa. Nossa vontade é corrupta, egoísta, a de Deus é boa e perfeita. “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”
Romanos 12:2

Viva para glória de Deus respire para glória de Deus, beba um copo de água para a glória de Deus, faça tudo pensando em como glorificá-lo. “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.” 1 Coríntios 10:31

Não se esqueça a vida é como um vapor, é como uma erva logo se vai. As coisas que fazemos e vivemos devem sempre está centralizadas em Deus e sua gloria. 



“Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” Romanos 11:36


Deus te abençoe

Neemias Fagundes - Pastor

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

A Paz que não Quebra

“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” João 14:27

Chega a nós a notícia da morte de um famoso ator de cinema chamado Robin Williams. Segundo notícias veiculadas na internet o mesmo cometeu suicídio após passar por forte período de depressão. O ator foi encontrado inconsciente na manhã desta segunda-feira em sua casa em Tiburon, na Califórnia

Com 63 anos de idade Robin foi um grande ícone do cinema internacional, com um currículo invejável na interpretação de seus personagens, venceu o Oscar de melhor ator coadjuvante, protagonizou outros tantos sucessos.

Ele batalhava contra a depressão e contra seu vicio assumido em álcool e cocaína.

Williams mantinha sempre seu Instagram atualizado, com fotos comemorativas de alguns momentos em família e bichos de estimação.

Recentemente em culto de ação em graça que dirigíamos, a irmã que oferecia este culto compartilhou seu testemunho antes de conhecer a Cristo.

Disse ela: “Eu era depressiva, sem paz para viver, trabalhava durante a semana e quando chegava na sexta feira tomava bastante remédio para me sedar e só acordava na segunda para voltar ao trabalho. Até que tive de fato um encontro com Cristo e minha foi vivendo uma maravilhosa transformação e hoje sou uma pessoa feliz”

A minha intenção de compartilhar estes dois exemplos têm como objetivo trazer a memória de todos, que neste exato momento existem no mundo milhares de pessoas em profunda depressão. Sim! De fato este se tornou o mal do século 21. 

O vazio de existência tem sido a maior razão de tudo que permeia este mal. O ser humano tem sido mais “ser” do que “humano”. Vivendo sempre anulando sua real razão de ser. Existindo sem propósito como uma vida ao acaso. 

Tudo que faz é interpretar um personagem que de fato não é, sempre buscando uma realização dentro de si, na busca de preencher um vazio que não lhe é suficiente em recursos naturais.

Todos fomos criados a imagem e semelhança de Deus, porém com o advento do pecado perdemos sua semelhança. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Romanos 3:23

O homem foi separado de Deus. “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça.” Isaías 59:2

Em razão do pecado perdemos a paz com Deus e nos tornamos inimigos declarados dEle. “Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.” Romanos 8:7

Sim talvez você venha me dizer que não tem Deus como inimigo, que você o respeita e o ama, mas lamento em te dizer. Todos os que não estiverem debaixo da justiça de Cristo, são inimigos de Deus, pois o pecado é oposição a Deus. O apóstolo Paulo diz que são filhos da ira de Deus: “Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.” Efésios 2:3

Esta é a falta que existe em cada homem que se recusa a abandonar o pecado, uma posição terrível. “SER INIMIGO DE DEUS” 

“Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tiago 4:4

Quando Jesus disse “deixo-vos a paz...não vo-la dou como o mundo a dá” Jo.14.27. Ele fazia referencia a paz com Deus, paz na consciência do pecado, paz contra o juízo eterno, paz contra o inferno terrível. Jesus não reduziu a paz ao simples aspecto do viver neste mundo. Pois isto seria pouco demais perto do que a eternidade nos oferece. 

A paz que o mundo dá (drogas, sexo, remédios enfim pecados) ela quebra em poucos dias ou hora. Pois a consciência contra Deus continua lhe dizendo “você está perdido se continuar vivendo para si mesmo.”

A paz que Jesus dá não lhe trará ausência de lutas , problemas, enfermidades, crises financeiras e outros. A paz que cristo dá lhe fará alguém maior que enfermidade, lutas, problemas, crises financeiras e etc. A paz (reconciliação) com Deus é tudo que o homem precisa. 

“Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida” .Romanos 5:10

Tendo paz com Deus o homem descobrirá que a vida só é vida vivida com Cristo. Ninguém que de fato encontrou-se com Cristo sua vida permanecerá a mesma. Jesus disse a mulher Samaritana: “Aquele que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede.” Jo.4.13-14

Querido leitor ou leitora, sua vida só poderá ser de fato vivida com excelência quando Cristo foi a razão pelo qual você vive. “Quer comais, quer bebais, que façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus’ 1 co.10.31

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20

Queres a paz que não quebra? Queres a paz que o mundo não tem? Negue a você mesmo e suas desculpas e viva para Cristo. Pois só Ele é o caminho a verdade e a vida.



Deus te abençoe em nome de Jesus.



Pr. Neemias Fagundes

segunda-feira, 28 de julho de 2014

DESERTO LUGAR DE PASSAGEM.

"Te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o Senhor teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não.
E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem." Deuteronômio 8:2-3

Ontem a mensagem foi ministrada em Deuteronômio 8 abordamos sobre a necessidade do deserto na vida do povo de Deus. Deixando a nossa reflexão quantos resíduos são expelidos de dentro de nós quando somos afligidos por Deus. Tal como Jó que vomitou coisas a respeito de Deus e depois de ser afligido admitiu falar coisas que não sabia. 

"Respondeu mais o SENHOR a Jó, dizendo:

Porventura o contender contra o Todo-Poderoso é sabedoria? Quem argüi assim a Deus, responda por isso.

Então Jó respondeu ao Senhor, dizendo:

Eis que sou vil; que te responderia eu? A minha mão ponho à boca.

Uma vez tenho falado, e não replicarei; ou ainda duas vezes, porém não prosseguirei." Jó 40:1-5

Jó pensou ser mais justo do que Deus a ponto de questionar até mesmo sua falta como homem que ele era, mas ao ser confrontado diretamente por Deus, Jó enxerga sua real situação e se arrepende de tudo que vomitou legislando em causa própria. 

"Então respondeu Jó ao SENHOR, dizendo:

Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia.

Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.

Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza." Jó 42:1-6

Somente depois de ser afligido Jó conheceu a Deus como Ele quer ser conhecido por nós. Da mesma maneira agiu com o seu povo no deserto e será assim com aqueles que Ele tirou do Egito (mundo) e está conduzindo para Canaã (céu)

Israel levou 40 anos para atravessar um deserto que poderia ser percorrido em apenas 4 semanas. Por que? Por causa da murmuração. Toda a geração que saiu do Egito de 20 anos para cima seria exterminada no deserto por causa da língua.
O deserto poderia ser rápido mas a inflamada deste povo prolongou sua trajetória.

Pense nisso! este deserto já poderia te acabado à tempo. Deserto de falta de amigo, saúde, paz, santidade, amor e etc.

Deus te desperte a ver o mais rápido possível a saída deste deserto que estas atravessando.

Deus em Cristo te abençoe!

Pr. Neemias Fagundes

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou. Salmos 3:5

Bom dia! Você acordou hoje e já agradeceu a Deus por isso?


Creio que você já deve está acostumado a acordar todos os dias e nem se dá conta de como a vida é frágil. O Salmista a compara como uma erva ou relva, uma planta sensível e que perece como o vapor. “Quanto ao homem, os seus dias são como a erva, como a flor do campo assim floresce. “Salmos 103:15. Em outros textos a vida é comparada como um suspiro “Pois todos os nossos dias se passam na tua ira; Gastamos os nossos anos como um suspiro.” Salmos 90:9

De certo temos demonstrado pouca sabedoria em nosso viver, vivemos como se não houvesse amanhã, arriscamos como se não houvesse eternidade. A arrogância tem sido um sentimento nocivo nestes dias. Criticamos, competimos de forma desleal, guardamos rancor. Como já dissemos uma vez: “homens promovendo homens e todos pensando ser de fato aquilo que lhes fizeram”

A vida é frágil, ninguém pode presumir está de pé hoje porque cuidou de tomar seus remédios ou exercitou-se da forma correta. Analisando Lm. 3.22 “as misericórdias do Senhor sãos as causas de não sermos consumidos, novas são a cada manhã”

Estive lendo uma estatística recente que gostaria de compartilhar com vocês e lembrei-me do Salmo 91 “Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.
Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel. Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,.
Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia.
Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti. “
Salmos 91:3-7

Observe que setas voam de dia, mortandade assola ao meio dia, mil e dez mil caem regularmente para o abismo profundo. Não estou dizendo que não morreremos, mas estou assegurando que mesmo na morte não iremos perecer (perdição eterna).

Leia a estatística: Estima-se que cerca de 6178 pessoas morrem no mundo por hora. Isso significa que diariamente, 148272 seres humanos falecem. Ao termino de um ano, consequentemente as mortes ultrapassam 54 milhões de pessoas.

É importante vivermos cada dia de maneira sábia “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.” Salmos 90:12

Dinheiro, reputação, poder nada disso segura o homem nesta vida, muitos chamados “poderosos” entre os homens passaram para a eternidade e não foram capazes de vencer a temível morte. Deus é quem detém a vida e a morte. “Até aos poderosos arrasta com a sua força; se ele se levanta, não há vida segura.Jó 24:22

Cabe ao homem temer a Deus pois este é o dever de todos. “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem.
Eclesiastes 12:13


Se assim fizeres “Vida longa de dias está na sua mão direita; e na esquerda, riquezas e honra.” Provérbios 3:16

Em Cristo

Pr. Neemias Fagundes

quarta-feira, 18 de junho de 2014

O ATO DE PROFETIZAR E DETERMINAR: UMA ANÁLISE HISTÓRICA, TEOLÓGICA E APOLOGÉTICA por Leonardo Dâmaso

Encontrei este texto e resolvi compartilhar com os devidos créditos a Leonardo Dâmaso. Neemias Fagundes

3. Análise apologética

Profetizar, conforme vimos na análise teológica, não significa fazer predições. Não é adivinhar fatos que estão ocorrendo no presente e nem pressupor o que ocorrerá no futuro na vida das pessoas. Não é somente transmitir inspiradamente de modo verbal ou pela escrita a revelação direta de Deus como fizeram os profetas no Antigo Testamento e os apóstolos no Novo Testamento. Apesar da profecia no Antigo e no Novo Testamento envolver predições, haja vista que o cânon sagrado estava sendo composto, todavia, profetizar é, sobretudo, interpretar e expor com fidelidade a Palavra de Deus. Assim, o profeta é tanto aquele que recebeu a revelação divina, como os profetas do Antigo Testamento e os apóstolos quanto o que comunica a revelação divina, como os profetas do tempo presente.

Heber Carlos de Campos ratifica que os profetas das igrejas locais já possuíam a Palavra de Deus autorizada que lhes vinha por meio dos escritos do Antigo Testamento e da mensagem apostólica que ainda estava sendo oralmente transmitida, e, pouco a pouco, sendo registrada. A função dos profetas das igrejas locais do Novo Testamento era a de interpretar corretamente o que Deus já havia anteriormente revelado.16

Não obstante, determinar, que está relacionado com profetizar, significa “ordenar” alguma coisa; “decretar” que algo aconteça. O bispo e líder da IURD, Edir Macedo, afirmou durante seu sermão baseado em Ezequiel 37, no evento “Dia da Profecia da Bênção”, no mês de maio, que a profecia não é uma mera previsão do futuro, mas sim, um ato de ordenar com palavras que fatos aconteçam. Macedo disse: “A profecia nada tem a ver com adivinhação do futuro. Nada disso! Esquece isso de que profecia é uma adivinhação do que vai acontecer amanhã. Profecia significa falar, pronunciar, promulgar, determinar”.

Dias antes da realização do evento, Macedo destacou em um programa de rádio: “Profetizar é diferente de orar”. “Uma coisa é orar, falar com Deus, rogar, pedir, suplicar. Mas nesse dia [no Dia da Profecia da Benção] nós estaremos especificamente profetizando. Quer dizer, determinando aquilo que Deus quer que seja realizado”.17 Desse modo, como adepto da confissão positiva ou movimento da palavra de fé, Macedo ensina que a palavra dos crentes tem poder para movimentar o mundo espiritual, e que isso resulta em uma cadeia de eventos no mundo físico, ou seja, em bênçãos e outras conquistas.

O ato de profetizar e determinar são simplesmente a manifestação verbal da confissão positiva, a qual distorce perfidamente o real sentido de profetizar e da petição que as Escrituras demonstram, o que veremos mais adiante. Por ser uma criação de Deus, o homem não possui autoridade para determinar ou decretar que coisas aconteçam no mundo espiritual e físico. É somente Deus, o criador e soberano que têm esta prerrogativa para determinar ou decretar eventos sobre o mundo espiritual e físico. A realização dos decretos de Deus na história é chamada na teologia de providência.

Kenneth Hagin, o maior divulgador da teologia da prosperidade e da confissão positiva ensinava que o crente, através da sua posição em Cristo Jesus possui autoridade sobre a esfera física e espiritual. Pela fé o crente pode determinar verbalmente o milagre, a cura, a “porta aberta”, anular a atuação dos demônios em sua vida e na vida dos outros (2Cor 4.13). Para ele, não há “impossível” para Deus (Mc 11.22-24; Lc 1.37). Deus “tem promessa para responder a oração da fé e o exercício da fé,”18 que implica não no pedido da benção em oração como Jesus e os demais autores do Novo Testamento ensinaram, mas no ato de determiná-la e a crença de “tomar posse” dela antes mesmo de recebê-la na esfera física.

Contudo, não existe em todo o Novo Testamento – nos Evangelhos e no livro de Atos um relato sequer de alguém profetizando ou determinando bênçãos para si mesmo ou para outras pessoas. Nos Evangelhos, os doentes não profetizaram ou determinaram a sua própria cura. Antes, Jesus, em sua primeira vinda, como Deus que é, curou-os por decisão soberana sem a necessidade da fé (veja Mt 12.9; 15; 14.14; 15.29-31; 22.51; Mc 1.34; Lc 7.21), e, em outros casos, exigiu a fé dos doentes para serem curados (veja Mt 9.19-22; Mc 6.5; Mc 10.46-52; Lc 8.43-48; Lc 17.11-19), onde os mesmos o pediram ou rogaram que ele os curasse (Mt 8.1-3; Mt 17.14-20; Mc 5.21-24, 35-42; Lc 7.1-10; 9.37-43). Este mesmo princípio de cura pela soberania de Deus sem a necessidade da fé do doente é visto também no livro de Atos, no período apostólico (veja At 3.1-8; 9.32-42; 20.7-10).

Todavia, Jesus, além de ser completamente homem e completamente Deus não ousou profetizar ou determinar bênçãos para si mesmo e para outras pessoas. Jesus veio não para fazer a sua própria vontade, mas para fazer a vontade de Deus Pai (Jo 6.38; Jo 4.34). Ele também não profetizou ou determinou como fazem os muitos adeptos da confissão positiva ou movimento da palavra de fé que não aceitaria passar pelo sofrimento, no caso de Jesus, o sofrimento de ser punido por Deus Pai e receber a manifestação de sua justiça pelos pecados dos pecadores eleitos, uma vez que foi o substituto deles. Jesus sofreu a ira de Deus em nosso lugar! Ele entendia que tudo o que haveria de passar fazia parte da execução do plano de Deus Pai, que seria a redenção dos pecadores eleitos (Mc 14.36).

Via de regra, Paulo também não profetizou ou determinou a sua cura, isto é, que o espinho em sua carne, que, em minha opinião, acredito ter sido algum tipo de doença fosse removido. Pelo contrário, ele orou e entendeu que não era a vontade de Deus curar-lhe, pois aquela doença tinha como propósito torná-lo humilde, o que glorificaria a Deus (para mais detalhes, veja 2Co 12.2-10). Paulo também não profetizou e determinou que Timóteo fosse curado da doença que possuía no estômago, mas o aconselhou a manter o hábito de tomar um pouco de vinho (1Tm 5.23).

No mundo antigo, a água com frequência estava contaminada e transmitia muitas doenças. Por essa razão, Paulo recomendou a Timóteo que não se arriscasse a contrair alguma doença, nem mesmo por causa de um compromisso assumido de se abster do vinho. Ao que parece, Timóteo evitava o vinho para não comprometer o seu testemunho. Paulo queria que Timóteo usasse o vinho que, por causa da fermentação, agia como um desinfetante para proteger a saúde dos efeitos prejudiciais da água impura.19 O vinho era considerado por muitos médicos como um excelente remédio, indicado especialmente para pessoas com problemas de indigestão. Desse modo, os adeptos do ato de profetizar e determinar parecem não entender que o sofrimento, por muitas vezes, é pedagógico. Deus constantemente utiliza-o para disciplinar, ensinar e aperfeiçoar o crente (Hb 12.4-11).

Augustus Nicodemus Lopes corrobora:

Não há qualquer exemplo no Novo Testamento de um crente dizendo: “Eu determino que isso aconteça desta maneira em nome de Jesus”. Até onde sei, não há nenhum exemplo ou ordem para que os crentes enfrentem as dificuldades e oposições desta vida determinando vitória, sucesso, libertação, meramente pronunciando palavras de maneira fervorosa. O conceito de que Deus deu aos crentes autoridade para determinar acontecimentos em termos espirituais, cósmicos e mesmo terrenos é estranho ao ensino das Escrituras.20

No Novo Testamento – nos Evangelhos e nas demais cartas, Jesus e os autores sacros não ensinam sobre o ato de profetizar e determinar bênçãos ou eventos como namoro, casamento, emprego ou salário melhor, casa própria, um carro, a libertação do filho viciado em drogas, a conversão do marido ou da esposa para si e para os outros. Porém, vemos ensinamentos a despeito do ato de pedir em oração as bênçãos desejadas e que os eventos supramencionados aconteçam, uma vez, é claro, que seja da vontade de Deus (veja Mt 7.7-8; 26.53; Cl 1.9-14; Tg 4.13-15; 5.13-18; 1Jo 5.14-15). Portanto, é deveras importante apresentarmos alguns (dentre tantos) textos da Escritura que os defensores da confissão positiva ou movimento da palavra de fé utilizam para apoiar tal prática e, em seguida, interpretarmos de modo fiel cada um deles. Senão vejamos:

Provérbios 18.21 – A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto. (ARA)

Segundo os adeptos do ato de profetizar e determinar, este texto faz alusão ao poder que existe na palavra, ou seja, na declaração verbal. Se alguém profere palavras negativas para si mesmo e para os outros, ambos irão obter efeitos negativos na vida. Da mesma forma, se alguém profere palavras positivas para si mesmo e para os outros, ambos irão obter efeitos positivos na vida. Contudo, esta não é a interpretação adequada. Este segundo provérbio do bloco maior (18.12-21) que, além de fazer par com o primeiro (18.20), o complementa. Os dois provérbios ressaltam a cautela no falar e os efeitos saudáveis e prejudiciais de cada palavra proferida. “O discurso benéfico produz resultados que favorecem quem fala; o discurso nocivo produz resultados que prejudicam quem fala”.21

Nessa mesma linha de pensamento, Antônio Pereira da Costa Junior escreve:

Este versículo explica que devemos ter o cuidado de que nossas palavras não venham a nos trazer situações embaraçosas. Temos que saber como dizer as coisas, pois certamente colheremos situações que são causadas por nós mesmos. No entanto, este versículo não dá margem para dizer que são as palavras em si que nos dá o controle das circunstâncias da nossa vida. São situações específicas e não o destino do ser humano que é traçado pela verbalização dos nossos desejos interiores.22

Marcus 11.23-24 – Em verdade vos digo que se alguém disser a este monte: Erga-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim lhe será feito. Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que já o recebestes, e o tereis. (Almeida Século 21)

Por ter interpretado de maneira equivocada este ensinamento de Jesus, Kenneth Hagin acabou influenciando os muitos adeptos da confissão positiva ou movimento da palavra de fé a incorrerem na mesma interpretação. A expressãose alguém disser a este monte: Erga-te e lança-te no mar é uma metáfora bem comum na época de Jesus, e significa “aquele que levanta montanhas”. Esta descrição “era usada na literatura judaica a respeito dos grandes rabinos e líderes espirituais que podiam resolver problemas difíceis e aparentemente fazer o impossível”.23 O monte que Jesus se refere aqui é o Monte das Oliveiras, e o mar é o Mar Morto.

Jesus, em seu ministério terreno, e nem os apóstolos ergueram e lançaram literalmente um monte no mar. A lição que ele queria ensinar aqui é de cunho espiritual e não literal – o que é evidente. Jesus alega que nada é impossível para Deus; assim, o que o crente pedir em oração, não profetizar ou determinar, e crer que aquilo que foi pedido estiver em consonância com a vontade de Deus certamente receberá (veja Mc 14.36b; Mt 6.10b; Mt 26.39). Hendriksen diz que a figura dramática, diante do seu contexto, que fala de fé e oração, deve significar, portanto, que nada que esteja em harmonia com a vontade de Deus é impossível de ser realizado por aqueles que creem e não duvidam (Mt 17.20; 21.21; Lc 17.6).24

2 Coríntios 4.13 – Todavia, uma vez que temos o mesmo espírito de fé, conforme está escrito: Cri, por isso falei; também nós cremos, por isso também falamos. (Almeida Século 21)

Segundo a interpretação dos defensores da confissão positiva ou movimento da palavra de fé, Paulo, aqui, ensina como o crente deve fazer para “tomar posse da benção”. O primeiro passo é crer que “já” recebeu a benção e, em seguida, manifestar a fé determinando verbalmente a mesma. Porém, o apóstolo não tinha a intenção de ensinar esta suposta “doutrina da fé triunfalista e antropocêntrica”, a qual coloca o homem no “trono”, na posição de “soberano”, e Deus na condição de servo do homem obrigado a proporcionar pela fé do mesmo todas as bênçãos. Simon Kistemaker explica:

Paulo declara que nós temos um bem duradouro: a fé. Mas qual é a mensagem que ele transmite com a expressão o mesmo espírito de fé? Paulo não dissera nada sobre fé nos capítulos anteriores. Ele não está olhando para trás, mas para frente, e tem em mente um texto de um dos salmos (Sl 116.10, LXX: Sl 115.1), em que o salmista observa que, por causa da fé, ele falou. O santo do Antigo Testamento tem mais a dizer do que aquilo que Paulo cita aqui. O texto da Septuaginta, que Paulo segue, diz: “Eu cri, por isso falei ‘estou extremamente afligido’”. O salmista reconheceu sua dependência completa de Deus para livrá-lo da morte. Canta louvores de gratidão por ter sido livrado e estar andando na terra dos viventes. Enfrentando a morte, ele deu voz a uma oração por livramento e Deus, em resposta à fé do salmista, respondeu de modo favorável.

Por que Paulo toma essa passagem da Escritura e a aplica a seu discurso? Os rabis judeus nunca destacavam esse texto. A razão para a citação é que Paulo se identifica completamente com o salmista. Ele medita nas ideias sobre a vida e a morte expressas nesse salmo. Tanto ele como o salmista tem o mesmo espírito de fé em Deus. Muito embora Paulo seja repetidamente entregue à morte, sua fé em Deus é forte e lhe permite comunicar o evangelho de Cristo (1Ts 2.2). Ele pode dizer com o salmista: “Cri, por isso falei”, porque as aflições de Paulo são semelhantes. A prédica de Paulo abrangia a vida, a morte e a ressurreição de Jesus, como o contexto geral indica.

Assim, Paulo escreve, “nós também cremos e, portanto, falamos”. Em outro lugar ele vai fundo com a observação de que cremos com nosso coração e confessamos com nossa boca que “Jesus é o Senhor” que Deus ressuscitou dos mortos (Rm 10.9, 10). Nossa fé interior se expressa mediante nosso testemunho exterior. Quando confessamos o evangelho de Cristo obedientemente (9.13), damos evidência de nossa fé e testificamos que pertencemos à família de Deus.

No Novo Testamento grego, os versículos 13 e 14 formam um só texto. Isso significa que o ato de crer e falar se baseia no conhecimento tanto da ressurreição de Jesus como de nossa ressurreição futura.25

Tiago 3.10 – Da mesma boca procedem benção e maldição... (Almeida Século 21)

O apóstolo não está dizendo que as palavras que saem da nossa boca têm um poder mágico imantado de abençoar e amaldiçoar as pessoas as quais nos dirigimos. A preocupação de Tiago com seus leitores era a despeito do controle da língua. Com ela bendizemos a Deus e maldizemos as pessoas. Quando um crente fala mal do seu próximo, que foi feito a imagem e semelhança de Deus, isso equivale a falar mal do próprio Deus (3.9). “Havia, de fato, nas igrejas de seus leitores pessoas que causavam problemas com suas palavras – e eram provavelmente os mestres os quais Tiago se dirigiu no início desse capítulo e na parte final (3.13-18). O apóstolo Paulo exorta os crentes a serem coerentes no uso da língua: devem parar de falar palavras torpes, e dizer apenas o que edifica (Ef 4.29; cf Rm 12.14; 1Pe 3.9)”.26 Isso, portanto, não deve ocorrer entre os crentes, exorta também Tiago. Douglas Moo observa que os cristãos que foram transformados pelo Espírito de Deus devem manifestar integridade e pureza de coração através de palavras puras e coerentes.27

Por outro lado, a palavra amaldiçoar também aparece no Antigo Testamento, em Genesis 9.25, Números 22.4-6, 1 Samuel 17.43, 2 Reis 2.23-24, Juízes 9.27, 2 Samuel 16.5 e Eclesiastes 7.22. Amaldiçoar, no contexto de cada passagem supramencionada, indica apenas um desejo proferido que poderes sobrenaturais causem algum tipo de mal a alguém, mas não que este desejo tenha algum poder de ser transmitido ou que “pegue”, conforme declaram os evangélicos místicos.

Conclusão

A confissão positiva ou movimento da palavra de fé, conforme foi apresentado na análise histórica, é um dos pilares da teologia da prosperidade. Todavia, é necessário observar que a confissão positiva não nega diretamente nenhuma das doutrinas fundamentais da fé cristã. Antes, a questão subjacente é a ênfase da confissão positiva; ou seja, não é o que ela ensina, mas sim o que ela não ensina. Senão vejamos:

1) A confissão positiva não ensina que o ato de profetizar e determinar não têm poder algum para fazer com que Deus abençoe.

2) A confissão positiva não ensina que as bênçãos provêm da graça de Deus, e que não é um direito que o crente pode reivindicar.

3) A confissão positiva não ensina que o crente, ao pedir por uma benção, pode não recebê-la por não ser da vontade de Deus abençoar. Isto não significa falta de fé ou infidelidade da parte do crente, uma vez que Deus não é obrigado a responder todas as orações.

4) A confissão positiva não ensina que o critério final para que Deus abençoe não reside na fé do crente, mas em sua vontade soberana.

5) A confissão positiva não ensina que mesmo que o crente contribua financeiramente, Deus não é obrigado a recompensá-lo com bênçãos materiais.

6) A confissão positiva não ensina que Deus nem sempre irá abençoar o crente e suprir suas necessidades de modo sobrenatural, porém, na maioria das vezes irá abençoá-lo materialmente através do próprio trabalho.

7) A confissão positiva não ensina que a corrupção e a injustiça que impera no mundo não são espíritos demoníacos que podem ser repreendidos, mas que são combatidos pela a honestidade e com ações benéficas no âmbito social, político econômico.

8) A confissão positiva não ensina que Deus, por muitas vezes, permite que os crentes, mesmo sendo fieis sofram duramente neste mundo.

9) A confissão positiva não ensina que, quando Deus não abençoa o crente, isto não significa que ele está irado.

10) A confissão positiva não ensina que, pelo fato de muitos crentes serem pobres, isso não denota infidelidade da parte deles e nem que a riqueza é sinal da benção de Deus.

Diante das informações que foram esboçadas neste ensaio, concluímos então que, o ato de profetizar e determinar são um ensino forâneo às Escrituras e, sobretudo, herético!

Acesse em http://www.materiasdeteologia.com/2014/06/o-ato-de-profetizar-e-determinar-uma_14.html


Notas:

16. Ibid, pág 90.
17. Edir Macedo. A profecia não é adivinhação/O dia para profetizar. Vídeos acessados no you tube, em 12/06/2014.
18. Kenneth Hagin. I Believe in Visions. What Faith Is, Bible Faith. A Study Guide.
19. Bíblia de Estudo MacArthur. Notas de Rodapé, pág 1662-1663.
20. Augustus Nicodemus Lopes. O que você precisa saber sobre Batalha Espiritual, pág 97-98.
21. Bíblia de Estudo Genebra. Notas de Rodapé, pág 836.
22. Antônio Pereira da Costa Junior. Artigo: Há realmente poder em nossas palavras?
23. Bíblia de Estudo MacArthur. Notas de Rodapé, pág 1298.
24. William Hendriksen. Marcus, pág 581.
25. Simon Kistemaker. 2 Coríntios, pág 216-218.
26. Augustus Nicodemus Lopes. Tiago, pág 107.
27. Douglas J. Moo. Tiago, pág 128

domingo, 25 de maio de 2014

Curandeiros Gospel do século XXI


Analisando vários fatos e comentário pela internet sobre charlatanismo nas igrejas evangélicas e outras, resolvi vim a público e colocar minha observação a luz da bíblia sobre os tais curandeiros do século 21. Poderia citar muitas coisas aqui, mas vou me ater apenas a poucas observações que fiz a luz da palavra de Deus.

Primeiro vamos analisar como eles atuam:

1- Lembra ao público presente que não teve contato com ninguém antes do evento, para não caracterizar “levantamento de informação”

2- Critica duramente quem tem postura de examinador nas igrejas, e faz referencia até ser do diabo quem não tem fé, e algumas vezes diz que por não ter fé não será salvo e faz referencia bíblica tais como: “quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado”Mc.16.16


3- Ante de iniciar o “show” pede que as pessoas coloquem a mão na sua enfermidade, que o mesmo irá fazer uma oração. ( É o tempo necessário que eles tem, para jogar o anzol e identificar o mal, ele vai andando por entre as pessoas e memorizando a seguir diz qual região a pessoa está sofrendo, depois deixa o resto com a vítima que sem perceber vai dando as cartas para o charlatão.)

4- A maioria se utiliza de muito barulho ou fundo musical, para poder andar por entre o povo e escolhendo pessoas (na sua maioria pessoa idosa ou de pouca cultura) para fazer o seu “show”. Após escolher a vítima, enquanto a igreja está em êxtase sem perceberem finge que está orando pela pessoa e pergunta o nome dela ou o nome de quem a está acompanhando (já está comprovado com testemunhos de quem caiu nessa falácia, pesquise na internet).

5- Com o advento da internet e site de relacionamento, também ficou claro que não precisa de muita coisa para saber o nome de algumas pessoas na igreja na qual se vai “ministrar” (um caso não muito recente revelou um charlatão brasileiro nos EUA) veja em http://www.youtube.com/watch?v=Y-Wesf5lYdc .

6- Na sua maioria são arrogantes, usam o nome de pessoas ou ministérios conhecidos para fazer valer o crédito ministerial. Não tem muita educação, fazem piadas constrangedoras, insultam quem duvida.

7- As supostas curas que eles dizem acontecer, são aquelas que não podem ser comprovadas de maneira ocular, (coxos andarem, cegos vêem, surdos ouvirem, pernas amputadas recuperadas, pernas ou braços atrofiados perfeitos e etc.) os males que eles dizem ter sido repreendido são internos e não podem ser comprovados no momento.

REFUTAÇÕES:

1- Jesus e os apóstolos nunca buscaram enfatizar curas e milagres e sim a mensagem do evangelho, alguns apoiados pelo segmento chamado “Terceira Onda” acreditam que os milagres são mais eficazes do que a mensagem do evangelho para produzir a resposta da fé no coração das pessoas tal como seu proponente Pr. Winber.

“Nessa filosofia esconde-se duas falácias, que a tornam completamente ineficaz em ganhar pessoas para fé genuína em Cristo. Primeira: quando os milagres tornam-se o alicerce de um convite evangelístico, a verdadeira mensagem do evangelho - a expiação de nossos pecados realizada por Cristo e seu direito de ser senhor de nossa existência. {Rm.14.9 - ) transforma-se em uma questão secundária. O Jesus histórico e bíblico é deixado de lado e substituído por uma versão mística e etérea. Sinais e maravilhas , e não mais o salvador, passam a constituir o foco da fé.” John MacArthur

Todos os apóstolos estiveram focados na mensagem do evangelho e não nas curas. 1 Co.1.23, 15.3-4. A fé jamais virá pela cura e sim pela pregação da palavra. Rm.10.17. O poder de Deus é o evangelho. Rm.1.16. Se não crerem no evangelho de nada adiantará a ressuscitar mortos. Lc.16.31.

A despeito dos muitos sinais e maravilhas realizados, Jesus não praticou o “Evangelismo de Poder”. Repetidas vezes Ele repreendeu pessoas que exigiam sinais: (Mt.12.38-39, 16.1-4, Mc.8.11-12, Lc.11.16, 29, 23.8-9 e Jo.4.48.) Jesus muitas vezes pregou sem realizar milagres. (Mt.13.1-52, 18.1-35, Jo.7.14-44. Leia também este texto Mc.1.29-44 e atente para o verso 38.


2- Por que eles criticam quem julga o que acontece? O que a bíblia diz sobre isso? Sou autorizado a julgar o que acontece?

“Examinai tudo. Retende o bem” 1Ts.5.21.

“Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.” 1 Co. 2:15.

“Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” Atos 17:11.

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.” 1 João 4:1

Outra observação ainda no tópico 2 sobre “quem não crer será condenado”, o que Jesus está falando não é crer na cura ou operação de milagres, (veja que o contexto já fala por si) mas quem não crer no que Jesus fala, ou seja na sua palavra. Muitos chegaram até Jesus e pediram que ajudassem a sua fé, porém outros foram aprovados pela convicção que tiveram do seu salvador.

Os tópicos 3,4 e 5 não necessitam de comentários, apenas faça sua própria observação, pois para mim o artigo 171 quase se enquadra a estes elementos.

6- Quando analiso o ministério do apóstolo Paulo, observo em sua carreira um profundo crescimento em direção da humildade. Paulo chega ao ponto de não se identificar no arrebatamento ao terceiro céu. 2 Co.12.2. Em uma carreira ministerial como a deste apóstolo notei degraus em declive. Veja: em 1Co.15.9 ele se considera o menor dos apóstolos, depois em Efésios 3.8 o menor dos santos e após longos 8 anos em 1 Tm.1.15 o maior de todos os pecadores.


Sim em várias de suas epístolas, o apóstolo Paulo reconhece sua fraqueza e misericórdia de Deus. Entendo a luz destes contextos, que quanto mais alguém é usado por Deus, mais humilde ele ou ela é. Não há lugar para arrogância onde o Espírito de Deus atua. Há lugar para fraqueza, e não para o pecado.

7- A maioria dos milagres efetuados por Jesus e seus apóstolos foram visíveis e comprovados. E não ficou sujeito a duvidas.


Conclusão: Não duvido que Deus opere milagres em nossos dias, entretanto não acredito que Deus está obrigado curar segundo minha vontade ou minha agenda de programação. Se de fato Deus usa estas pessoas como elas querem, por que as mesmas não vão aos leprosários, hospitais do câncer, UTIs ou outras instituições de saúdes e fazem o que mais interessas aquelas pessoas. Muitas estão perdendo membros para o câncer, outros estão mutilados para a lepra.

Eu vi minha tia morrer com um buraco que atravessava seu corpo causado por um câncer, e nós oramos muito por ela, vi meu pai morrer em meu colo sufocado por um edema pulmonar que o impediu de continuar respirando.

Por que eles não querem ir a estes lugares? Por que só buscam grandes cruzadas para realizarem os seus “milagres”? Sei que serei criticado por estas verdades, alguns dirão até que não tenho fé. (Pois é sempre este o argumento dos que não sabem responder sobre esta questão)

Entretanto vejo finanças por trás de tudo isso, vejo homens corruptos que vão enganando e sendo enganados por estes lobos vestidos de ovelhas. Pois se tivesse amor eles não iriam medir esforços para está onde Jesus estaria.

“Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” Mateus 7:15

“O meu povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento” Oséias 4.6

Voltem à palavra, voltem ao evangelho.

Em Cristo



Pr. Neemias Fagundes

Meus blogs prediletos

Loading...