Translate

terça-feira, 23 de outubro de 2012

A bíblia está perdida dentro da igreja

Então disse o sumo sacerdote Hilquias ao escrivão Safã: Achei o livro da lei na casa do SENHOR. E Hilquias deu o livro a Safã, e ele o leu. 2 Reis 22:8
(Mensagem ministrada na AD Boa Perna Aniversário do templo.)

Tema: "A bíblia está perdida dentro da igreja"



O que estão fazendo do evangelho?

O púlpito virou balcão.

O evangelho o produto.

E a igreja consumidores.

Estamos abarrotados de 171 em nossos púlpitos.

São os chamados "TOPA TUDO POR DINHEIRO"


As pessoas estão priorizando o que Jesus chamou de demais coisas. 

Hoje só se fala aquilo que dá IBOPE.

Prosperidade, curas, batalha espiritual e etc.

Estão intoxicados por um sincretismo religioso tal como nunca se viu.

O apostolo Paulo já nos alertava desta corja:

"Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.
Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,
Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,
Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. " 2 Timóteo 3:1-5

Estes só querem encher seus cofres, seus programas de TV, seu$ belo$ carro$, seus transatlânticos, seus altos cruzeiros, seus jatos, mansões, programas de TV usam excessivamente para isso, "apelo ao dinheiro."

O evangelho da graça está perdendo para a "graça" que fazem com o evangelho.


A prosperidade da teologia está perdendo para "teologia da prosperidade."

Por que quando eles fazem os grandes desafios na TV de pegarem o aluguel do mês, prestação do mês e etc ao invés de depositarem em suas contas para terem a suposta "vitórias", não pedem para procurar uma igreja mais próxima e fazer um exercício de "fé." Entretanto particularmente não defendo nenhuma e nem outra forma, pois oferta é um ato do coração e não por estipulação.

"Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. " 2 Coríntios 9:7



Quantos estão manipulando o povo com suas doutrinas de demônios, levarão a igreja a não suportar mas as mensagens de arrependimento, justificação, salvação, regeneração e etc. 
"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; " 2 Timóteo 4:3


Desperta igreja, volte-se para Cristo, arrependam-se pastores corruptos enquanto é tempo.

Arrependam-se dos seus pecados de suas mentiras.

Os comerciais que algumas igrejas fazem na TV parece até propaganda para emagrecimento.

"Antes eu era gordo, depois que tomei este remédio fiquei magro"

Ou seja quando eu não conhecia a igreja "tal" eu era assim depois que conheci, hoje minha vida mudou, eu e minha esposa agora somos felizes, tenho uma empresa" e o mesmo blá! blá! blá! de sempre.

Preguem a palavra. Paulo nunca ensinou que evangelho seria fácil.
"Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência,
Perseguições e aflições tais quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio, e em Listra; quantas perseguições sofri, e o Senhor de todas me livrou;
E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.
Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.
Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido,
E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. 2 Timóteo 3:10-17
Jesus nunca prometeu uma vida de pleno sucesso em nossa carreira.

"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. "João 16:33
Me lembre algum apóstolo que morreu rico e de boa morte?

Desperte igreja enquanto podes. Jesus Breve vem e você está preparado?
Como disse um certo pastor a mim: 
"Esta mensagem que o pastor ministra, não é de muita agenda pois não agrada o sistema, porém vai até o fim pois o Senhor é contigo"

Não tenho medo de pregar, enquanto eu tiver fôlego, não serão as prisões do sistema que me impedirá de falar o que devo. Que ouçam! Quer deixem de ouvir!

Se não gostas da verdade nunca me convide para pregar em tua igreja.

E se um dia o meu fôlego parar, quero poder dizer como Paulo:

"Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. "2 Timóteo 4:7



Que o mundo jamais me afaste da fé que um dia me foi dada em nome de Jesus.




Deus te abençoe





Pr.Neemias Fagundes

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Desperta Igreja

"Até quando terás tu dó de Saul tendo Eu rejeitado para que Reines sobre Israel?" 1 Samuel 16:1

A igreja precisa acordar enquanto é tempo!



Quantos estão servindo nos púlpitos das igrejas como profissionais na área eclesiásticas.

Quantos são protegidos por um sistema inerte e frio cheio de culpas no cartório.

Quantas ovelhas estão morrendo por causas da corrupção ministerial.

Quantos não pregam mais a verdade por causa do seu compromisso com a "MENTIRA"

Suas mensagens são vazias de doutrinas fundamentais.

Como eles pensam? 

Observe como sua falta de conhecimento teológico tem levado a buscar mensagens pragmáticas:

Exemplo:

As pessoas hoje em dia não estão preocupadas com doutrinas como justificação, salvação ou expiação. Nos dias de hoje, ninguém entende esses termos. O que nós precisamos fazer é atender as necessidades das pessoas!” Dizem eles.

Imaginem um professor.

"Vocês não acham que seria muito estranho se o professor chegasse dizendo assim: “Não posso ensinar o alfabeto para esta criança porque ela ainda não sabe português”. 


Esse é o tipo de argumento que esses pastores estão apresentando. Tanto que o que hoje se passa com o nome de pregação, na realidade, não é pregação da Palavra.
Porque não apresenta nem a Lei nem o Evangelho.
Esses pastores começam decidindo o que é que as pessoas de sua igreja desejam ouvir. 

Quais são os pontos que estão em moda hoje? Quais são as necessidades das pessoas dos dias de hoje? E aí, então, eles vão às Escrituras e procuram e acham passagens que podem ser usadas para apoiar essa necessidade, ao invés de, indo ao texto, perguntarem primeiro como a santidade de Deus nos convence do nosso pecado e como o Evangelho de Cristo pode ser tão claro que até pecadores como nós podem se arrepender e crer.


Que Deus desperte sua igreja contra os pregadores Evangelicais que Paulo pregou. 2Tm.3.1-9

Quantas almas estão se apostatando da fé (palavra) porque ela não é mais a priori nos seus púlpitos.


Destes afasta-te:


"Eu posso e devo deixar uma

igreja apóstata. Eu posso e

devo deixar uma igreja

legalista que sufoca o

Evangelho com a “salvação”

do esforço humano. Eu posso

e devo deixar uma igreja que

ensina o caminho para a

perdição. Eu posso e devo

deixar uma igreja que abraça

um conjunto de heresias

como verdades. Mas é um

erro deixar a igreja porque

não achei perfeição em seus

membros. É um erro quando

não nos olhamos no espelho." By Gutierres

Oremos para que haja uma reforma no evangelho no Brasil do contrário nos tornaremos uma igreja fria como a Europa hoje, que outrora foi o canal de bençãos para muitas nações.



Deus te abençoe





Pr.Neemias Fagundes

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A dicotomia sagrado/profano


A dicotomia sagrado/profano

O pensamento cristão no decorrer do séculos, por influência da filosofia grega, passou a defender uma separação entre o sagrado e o profano. Os gregos tinham uma visão que as coisas materiais eram ruins e profanas, enquanto a salvação dependia de libertar o espírito do material. A elite grega era tão influenciada por esse pensamento, que o trabalho manual(material) ficava relegado aos escravos, uma sub-classe, enquanto a elite se dedicava a filosofar.

Platão defendia a idéia que o mundo material é um simulacro, ou seja, uma cópia imperfeita do “mundo da idéias”. Para alcançar o “mundo da idéias”, era preciso se libertar por meio da alma, subindo e saindo do cativeiro material. Como lembra Nancy Pearcey: “O que Platão quer dizer(...) é que o mundo material é o reino do erro e ilusão. O caminho ao verdadeiro conhecimento é livra-se de todos os sentidos físicos”¹.

Agostinho foi um dos pais da igreja que assimilou o pensamento platônico. Apesar de defender que a criação material era boa, conforme Gêneses, Agostinho defendia que a criação material de Deus, era um simulacro. Há vários exemplos da dicotomia material/espiritual no pensamento agostiniano. Ele foi um dos defensores da virgindade perpétua de Maria, por associar o sexo(algo material, feio com e pelo corpo) ao pecado. Ele, também, via o celibato com superior ao casamento. A dicotomia sagrador/profano de Platão, influenciou outros pais da igreja.

A divisão sagrado/secular criou um conceito distorcido da palavra corpo. No conceito paulino, a natureza pecaminosa é descrita de várias formas, como natureza terrena, natureza adâmica, velho homem e carne. Para Paulo, a carne a ser mortificada era a natureza pecaminosa e não o corpo humano. Com o dualismo sagrado/secular, o corpo humano passou a ser visto como algo mau, sendo assim, aquilo que fosse ligado ao corpo era pecaminoso. Surge nessa época, aqueles que defendem um corpo empacotado(totalmente coberto de roupas), a abstinência de sexo(dentro do casamento), a mundanização daquilo que fosse material.

A matéria é má? Na visão bíblica a resposta é não. O primeiro capítulo de Gêneses, descreve a criação material efetuada por Deus. Moisés, escritor do pentateuco, escreve sempre a frase: “E viu Deus que era bom”, isso após uma criação material. A matéria faz parte da criação de Deus, portanto ele não é má, mas sim, sofre as consequências do pecado.

Tomás de Aquino foi outro teólogo cristão que assimilou o pensamento grego. Aquino, combatendo a teoria da verdade dupla (que dizia que duas interpretações são verdadeiras, mesmo que esses conceitos sejam excludentes), acabou assimilando outra forma de dualismo. Tomás de Aquino produziu uma estrutura dualística, dividindo o conceito de natureza e graça. Ele dizia que o homem está em um estado de natureza pura que precisa de uma adição de graça, “quer dizer, além de nossas faculdades naturais, Deus dotara os seres humanos de um dom ou faculdade sobrenatural que os capacita a ter um relacionamento com Deus”². Esse pensamento trouxe a visão que as coisas humanas são independentes das divinas, apesar de andarem juntas. O dualismo de Aquino, produziu o pensamento de viver como homem natural e homem espiritual, coexistindo em um só ser. Um homem vive com o sagrado e com o profano ao mesmo tempo.

Partindo dessa premissa de Aquino, o pensamento vigente na cristandade é que se ia a missa para um ato sagrado, enquanto trabalhar era o lado profano. Mas essa realidades eram ligadas a um só homem. Os únicos que poderiam “viver exclusivamente do sagrado”, eram os monges, pois não se envolviam com “assuntos mundanos”.

A dicotomia sagrado/secular influência o pensamento cristão na atualidade? Sim. Ainda hoje há uma dificuldade de um visão unificada da fé cristã para todas as áreas da vida (cultura, arte, lazer, trabalho, educação, política, esporte etc). O dualismo permeia não só o pensamento católico, mas muitos protestantes.


Os reformadores formam os primeiros a quebrarem essa visão dualística da vida. O conceito de sacerdócio versus leigos (os sagrados versus os profanos) deu lugar a doutrina do sacerdócio universal de todos os crentes, conforme a revelação bíblica (1 Pe 2.9). Os reformadores passaram a defender que a criação é boa, conforme a Bíblia(Gn 1.12, 21, 25), sendo assim as várias formas de manifestações culturais eram divinas, dizia Calvino: “todas a artes procedem de Deus e devem ser consideradas criações divinas”. Na visão reformada, o corpo passou a ser visto com templo do Espírito Santo (1 Co 3.16) e não casa e instrumentos dos demônios. Com a reforma, passou a se ensinar que o trabalho episcopal não é mais digno do que o trabalho manual ou cultural, pois tudo deve ser feito para a glória de Deus (1 Co 11. 31).

A Bíblia ensina tanto no antigo testamento, como no novo testamento, uma visão unificada da vida, vivendo tudo para a “glória de Deus”. No livro de provérbios, as várias instruções em relação a comunhão com Deus, estão do lado de instruções relacionadas a família, agricultura, finanças, casamento etc. É bem relevante a observação do teólogo católico Jacques Trublet, “a nossa dicotomia sagrado/profano se aplica com dificuldades à mentalidade hebraica, não que ela misture todos os níveis do real, mas porque na abordagem bíblica tudo funciona em interação”³. No novo testamento não é diferente, o capítulo quatro de 1 Tessalonicenses está dividido em três parágrafos (1-8, 9-12 e 13-18), o primeiro parágrafo está exortando à santidade, o segundo fala do amor e do trabalho, enquanto o terceiro parágrafo expõe a doutrina da ressurreição do santos e o arrebatamento; veja que o trabalho( vv. 11-12) está inserido no meio de “assuntos espirituais”.

Apesar do trabalho de esclarecimento dos reformadores em relação a dicotomia sagrado/secular, há ainda hoje no pensamento evangélico, sobras dessa visão equivocada de mundo. Por meio desse artigo, será apresentada algumas distorções que contrariam a Palavra de Deus:

a) A dicotomia sagrado/profano super-valoriza a santificação do corpo em detrimento da santificação interior. O corpo é visto como algo ruim, mau e perverso, sendo assim precisa ser mortificado por um ascetismo rigoroso.

Identificar o pecado como parte do corpo é um erro. A santidade não consiste, somente, em coisas exteriores. A Bíblia ensina que a santificação parte de dentro para fora e não o contrário, pois como escreveu Paulo aos Tessalonicenses: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”(5.23).

Um pensamento legalista recorrente aos usos e costumes é pensar que isso seja a essência da santidade, quanto os usos e costumes são consequências da santidade e nunca a causa. Esses usos e costumes devem basear-se no princípio da moralidade, pudor e modéstia e não recorrer a eles como garantia da salvação, isso é legalismo farisaico. O pastor Antonio Gilberto fez uma importante observação:

Uma vida equilibrada é uma vida de compostura, comedimento e moderação. Estas palavras soam como alerta para que se evite os extremos em nossa conduta, comportamento e procedimento, abrangendo espírito, alma e corpo em relação a nós a aos outros. Como mencionamos anteriormente, isto não significa o ascetismo, o isolamento, a clausura, o retraimento, e repelir o prazer natural, racional, legítimo e necessário.4

Não é bíblico ensinar que qualquer forma de lazer é pecaminoso ou que o crente para ser santo precisa viver longe das coisas materiais. Jesus foi a uma festa de casamento, mas sabia separar o que era legítimo e impróprio, tinha Ele discernimento.

b) A dicotomia sagrado/secular valoriza uma adoração estética, voltada em manifestações vocais, corporais e rítmicas; ligada a um espaço físico.

Hoje muito se fala em louvor e adoração, porém ligada a uma estética, uma inovadora fórmula. Biblicamente falando, a adoração não está presa a música ou outras manifestações vocais e rítmicas. Adoração é um estilo de vida, é mais do que música, culto e instrumentos musicais, é uma forma de viver, em todas as áreas da vida. Enquanto se adora com instrumentos, se deixa de louvar com testemunho público no pagamento de imposto. Essa dicotomia leva a drásticas consequências na vida cristã.

c) A dicotomia sagrado/secular separa drasticamente a constituição imaterial do homem, ensinando uma tricotomia dividida e não unificada.

A antropologia neo-pentecostal faz uma separação acentuada entre espírito e alma/corpo. Para alguns “mestres” da confissão positiva, o homem é um espírito que tem uma alma e habita em um corpo. A tricotomia desses “mestres” é distorcida do ensinamento bíblico, pois nessa visão, o homem não é um ser unificado em sua constituição material e imaterial e sim divido. Como lembra o teólogo José Gonçalves:

Uma visão tricotômica do homem, onde se faria o ser humano em três partes distintas e independentes não é bíblica. Embora o homem seja uma tricotomia composta de espírito, alma e corpo, todavia ele é uma unidade dessas três partes.5

A antropologia neo-pentecostal leva a distorções em sua demonologia. Segundo Kenneth Hagin, em um reflexo da dicotomia sagrado/profano, diz que o corpo e alma de um cristão pode ser habitação de um demônio, mas nunca o seu espírito. Diz Hagin:

O cristão pode ter um demônio? Decididamente, sim!Algumas pessoas estão possessas pelo dinheiro. O dinheiro é o seu deus - domina-as. Eu tenho dinheiro, mas não estou possesso pelo dinheiro. Alguém pode ter um demônio sem estar possesso. Às vezes isto acontece na carne, no corpo.6

Hagin vê possibilidade de um demônio possuir a o corpo de um cristão. Nessa concepção, o corpo é inferior ao espírito, semelhante o pensamento platônico. Muitos dos conceitos expostos são semelhantes aos apresentados pelos gnósticos, seita muito combatida pelos apóstolos Paulo e João e os pais da igreja. O gnosticismo se relaciona com o neoplatonismo, e tem várias características em comum, entre elas essa visão tricotômica distorcida. O dr. Paulo Romeiro cita D.R. McConnell, que escreveu no livro A diferente gospel(p. 130), uma importante observação:

O tricotomismo extremado da antropologia da Confissão Positiva, que identifica o “verdadeiro eu interior” do homem como fundamentalmente divino, residindo exclusivamente em seu espírito, num contraste radical em relação ao seu corpo e alma transmutados por poderes demoníacos, é muito mais característica da mitologia gnóstica do que o ponto de vista judaico-cristão sobre o homem.7

Esses são alguns efeitos do conceito dicotômico no pensamento cristão. É bom lembrar que esse divisão entre o sagrado/profano contraria a visão bíblica de que tudo deve ser feito para Deus, “portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus”(1 Co 10.31) e “se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá, para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o poder para todo o sempre. Amém”(1 Pe 4.11).

Referências bibliográficas:

1- PERCEY, Nancy. Verdade Absoluta. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006. p. 85.

2- Idem, p. 90.

3- MIES, Françoise(org). Bíblia e ciências. São Paulo: Edições Loyola, 2007, p. 37.

4- GILBERTO, Antonio. O fruto do Espírito. 1 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p. 139.

5- GONÇALVES, José. Por que caem os valentes? 4 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 83.

6- HAGIN, Kenneth E. O Nome de Jesus. Rio de Janeiro: Graça Editorial, p. 90.

7- ROMEIRO, Paulo. Evangélicos em crise. 4 ed. São Paulo: Mundo Cristão, 1999, p. 130

by http://www.teologiapentecostal.com/2007/09/dicotomia-sagradoprofano.html

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Por que o justo sofre?

Salmos 1 Mensagem ministrada neste domingo 14/10/2012

"Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.


Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.

Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.

Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.

Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.

Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá." Salmos 1:1-6

Onde relatamos a igreja, (segundo a interpretação que Deus nos deu) por que o justo sofre?

Usamos alguns exemplos como Paulo e Jó.

Falamos sobre estas indagações que à muito tempo já era uma dúvida constante no coração do povo de Deus, de Salomão, do Salmista sobre: por que o justo sofre?

Refutamos as pseudo-teologia neo-pentecostais que priorizam a prosperidade, batalha espiritual, curas e etc. Na qual muitos, costumeiramente tem enfatizado aos incautos que estas coisas são os sinônimos do amor de Deus para com o seu povo.

E mostramos a igreja em Malaquias que o amor de Deus é provado de uma forma simples porém muito objetiva.

A sua escolha soberana que ele fez em nos fazer seus povo. Malaquias 1, e afirmação de Jesus em Jo.15.16.

Como sabemos Deus não tinha nenhuma obrigação em nos escolher, Ele não devia nada a nós, pelo contrário eramos pecadores.

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." Romanos 5:8


A igreja foi despertada mais uma vez para o grande amor de Deus e fortalecida para a compreensão de que o amor de Deus não se mede pelas benção e sim por sua escolha.

Entenderam que a palavra de Deus jamais nos deu garantia de que todos serão prósperos "O rico e o pobre se encontram; a todos o SENHOR os fez. " Provérbios 22:2, ou de que terão saúde"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. "João 16:33 e etc.

E mesmo em meio as lutas entenderam onde está representado cada dia em nossas vidas o amor de Deus.

"Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. " Romanos 5:8


Que o Senhor te abençoe e te guarde.


Em Cristo.



Pr.Neemias Fagundes

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Desistir ou Resistir?

Mensagem Ministrada na AD Rio Do Limão


Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Efésios 6:13

O caminho mais perto para a vitória do seu inimigo é a sua Desistência.

Deus nunca nos pediu para enfrentarmos o diabo mas sim resisti-lo.

O diabo já reconhece sua derrota, na cruz, mas ele está como uma serpente com a cabeça esmagada, se debatendo com a força do veneno. Destilando seus ataques finais.

Porém tudo debaixo da fiscalização do Soberano Deus.

"Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia.

Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar." 1 Coríntios 10:12-13

O golpe que ele levou foi mortal pois foi na cabeça.

"E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. " Gênesis 3:15

A ordem é tomar todas as armaduras e ficar firme na posição (fé) pois a vitória já foi conquistada na cruz por Cristo.

"Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.

Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?

Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro.

Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.

Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,

Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. " Romanos 8:33-39

Portanto resista o diabo na fé (palavra) e ele fugirá de vós. "Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. " Tiago 4:7


Todas as armas entregue ao soldado romano são de defesas.

Até mesmo a espada, pois a utilizada nesta ilustração de Paulo, é uma pequena espada, para luta corpo a corpo em sua defesa contra o inimigo.

Veja que Jesus no deserto não ataca o diabo e sim se defende com a palavra.

Observe o que Paulo diz: "para que possais resistir no dia mau" e não para que possais lutar. Pois a vitória já é nossa pelo sangue de Jesus.

A luta que estamos travando é de resistência as forças do mal e não provocando-os. 

"Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. " Efésios 6:12



Deus abençoe a todos em nome de Jesus.




Pr.Neemias Fagundes

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O que estão pregando em nossas igrejas?

            "Se eu fechar os céus, e não houver chuva; ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra; ou se enviar a peste entre o meu povo;
E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. " 2 Crônicas 7:13-14



                O texto acima fala de um Deus que espera de nós compromisso com Ele e sua palavra. E o que estamos pregando para o seu povo nestes dias?
                Existe benção sem mudança, vitória sem luta? 

Já dizia um escritor: 

É MELHOR UM PÚLPITO VAZIO DO QUE UM VAZIO NO PÚLPITO.


Mensageiros sem mensagens.

Homens e mulheres sem comprometimentos com a verdade.

Animadores de auditórios. Num apelo agudo por fama ou sucesso a todo custo.

Pregam o que sabem sem saber o que pregam.

Pregadores de textos isolados que manipulam os incautos.

Charlatões que não respeitam o contexto da palavra.  "Texto sem contexto vira pretexto para heresias."



Leem de tudo menos a palavra.

Pregam curas, prosperidades em detrimento a uma vida santa e de qualidade com Deus.

Seus louvores falam de uma "aliança" onde só nós temos direitos, promessas e não falam dos deveres.

A aliança que Jesus pregou é bilateral. Tenho promessas mas tenho responsabilidades. 

"E será que, se ouvires a voz do SENHOR teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu hoje te ordeno, o SENHOR teu Deus te exaltará sobre todas as nações da terra.

E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do SENHOR teu Deus;" Deuteronômio 28:1-2

Estão fazendo do povo consumidores em lugar de adoradores.

São "filósofos" Leia por favor o que Paulo falou sobre isso: 


"A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder;
Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus.
Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam;
Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória;" 1 Coríntios 2:4-7

Chega de ser enganado com uma quantidade sem qualidade! Com alimentos requentados, por homens preguiçosos pela palavra. 
Pregadores repetitivos que não trazem alimento fresco para o seu povo.

Imitadores baratos sem identidade, sem compromisso com a verdade. 


Pregam o que coçam os ouvidos dos ouvintes. " Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;" 2 Timóteo 4:3 e não o que eles precisam ouvir

Acorda povo de Deus. Volte-se para a palavra. Leiam mais a bíblia! 



Não se iluda o evangelho da cruz é renuncia, é para poucos (escolhidos).

Que o Senhor desperte o seu povo através do seu Espírito Santo.


Deus te abençoe

Pr. Neemias Fagundes

Meus blogs prediletos

Loading...